Música eletrônica-como produzir e editar



MÚSICA ELETRÔNICA-APRENDA A PRODUZIR A MÚSICA DO FUTURO

Nesse artigo quero comentar sobre a música eletrônica-aprenda a produzir a música do futuro e editar o estilo de música que no presente nos remete à provável tendencia da música nesse século.

Essa é a primeira publicação de uma sequência de 4 artigos.

Nas próximas publicações desse blog estarei dando continuidade à essa matéria com os temas sitados no final desse artigo.

Veja abaixo uma rápida mini vídeo aula de um plugin VST ( Virtual Studio Technology/sintetizador) :

A música eletrônica não é tão nova quanto parece

Embora sua história date aos remotos meados do século 19, os primeiros instrumentos musicais eletrônicos usados em composições foram o eletrofone e o ritmicon, criados por Leon Theremin.

À medida que a tecnologia foi aprimorada, as unidades sintetizadoras que foram uma vez confinadas aos estúdios de música estão agora disponíveis para que você crie as suas próprias músicas eletrônicas, quer seja em sua casa ou como parte de uma banda.

O processo de arranjar e gravar composições de música eletrônica tem também se facilitado ao longo do tempo e pode ser feito independentemente, bem como em um estúdio dedicado à música.

É importante salientar que, por definição, música eletrônica é toda música criada através do uso de equipamentos e instrumentos eletrônicos.

Entretanto, a partir da grande popularização da música eletrônica dançante a partir da década de 1980, esta passou a ser conhecida pelo público geral pela denominação simples de música eletrônica, o que prevalece até hoje.

Olha só esse ícone da música eletrônica, Jan Hammer, observe a riqueza de sons tirados dos sintetizadores.

Componentes dos instrumentos de música eletrônica

Alguns dispositivos e equipamentos acompanhados com um bom software são imprescindíveis para produzir e editar música eletrônica. Veja alguns desses componentes a seguir.

Vídeo aula 1 e e-book

Nessa sequência de quatro artigos sobre música eletrônica você terá uma vídeo aula de VST grátis para cada artigo que será publicado. Tenha acesso a primeira vídeo aula clicando aqui, as outras três virão nas próximas publicações.

Caso queira aprender os seus próprios timbres desde o inicio, deixo a sua disposição um e-book (livro digital) que você pode baixar também gratuitamente que te ensina passo a passo à dominar qualquer VST e criar os timbres que você sempre sonhou.

Faça música eletrônica com um sintetizador.

Embora a palavra “sintetizador” seja usada como sinônimo de “instrumento musical eletrônico“, o sintetizador é a parte do instrumento eletrônico que produz a música em si: as batidas, os ritmos e os tons.

Os primeiros sintetizadores, como o Moog Minimoog, eram capazes apenas de produzir um tom por vez (monofônicos).

Esses sintetizadores não podiam produzir os tons secundários que outros instrumentos produziam, embora alguns apresentassem a possibilidade de elaborar dois tons simultaneamente, quando duas teclas estivessem pressionadas.

A partir de meados da década de 1970, sintetizadores capazes de produzir múltiplos tons simultaneamente (polifônicos) têm estado disponíveis, permitindo criar acordes bem como notas individuais.

A maioria dos primeiros sintetizadores foi separada dos meios utilizados para controlar os sons produzidos.

Muitos instrumentos musicais eletrônicos, em particular aqueles para uso doméstico casual, agora disponibilizam o sintetizador fisicamente integrado com sua unidade de controle.

minimoog

Manipule o sintetizador com o controle de instrumento.

Os primeiros sintetizadores eram controlados com interruptores, botões ou, no caso do teremim, no qual as mãos do operador são posicionadas sobre o instrumento.

Controladores modernos vêm em variedades mais amigáveis, comandando o sintetizador através do padrão MIDI (inglês para “interface digital de instrumento musical”). Alguns dos controladores estão descritos abaixo:

Teclado:

Esse é o mais comum sintetizador controlador.

Teclados variam em tamanho do completo, com 88 teclas (7 oitavas), encontrado em pianos digitais, a até os parciais, com tão pouco como 25 teclas (2 oitavas), em instrumentos pequenos.

Teclados para uso doméstico normalmente apresentarão 49, 91 ou 76 teclas (4, 5 ou 6 oitavas).

Alguns terão teclas com peso para simular a sensibilidade de um piano, enquanto outros terão teclas com molas, e ainda outros combinarão molas com pesos mais leves do que aquelas com peso completo.

Muitos apresentam a funcionalidade de sensibilidade ao toque, influenciada com a pressão com a qual as teclas são tocadas, que determina o volume do som gerado.

Controlador de vento/embocadura:

Esse controlador é encontrado em sintetizadores de vento, instrumento eletrônico projetado similarmente a variedades de saxofone soprano, clarinete, flauta ou trompete. Você assopra através da embocadura para regular o som, que pode ser modificado utilizando-se o polegar ou o maxilar de determinadas formas.

Guitarra MIDI: 

Esse é um software que lhe permite usar uma guitarra, ou violão, com uma palheta para controlar o sintetizador. Guitarras MIDI funcionam tentando converter vibrações de corda em dados digitais. Há com frequência um hiato entre a entrada e a saída por causa da quantidade de amostragem necessária para a criação do som digital.

SynthAxe: 

Não mais em produção, o SynthAxe funcionava dividindo os trastes em 6 zonas diagonais, e usando as cordas como sensores. A intensidade de distensão das cordas determinava o tom gerado.

Keytar: 

Esse controlador é moldado como corpo e braço de uma guitarra, mas com um teclado de 3 oitavas no corpo e outros controles de manipulação sonora no braço. Inspirado em um instrumento do século 18 chamado de órfica, ele oferece ao tocador os controles de um teclado aliados à mobilidade de uma guitarra.

Kit de bateria eletrônica: 

Introduzidos em 1971, os kits de bateria eletrônica estão normalmente disponibilizados em conjuntos similares aos existentes em baterias convencionais, inclusive címbalos. Versões iniciais tocavam amostras pré-gravadas, enquanto versões posteriores passaram a criar seus sons matematicamente. Com fones de ouvido, é possível tocar a bateria eletrônica de modo a somente o tocador ser capaz de ouvir os sons produzidos.

Bateria a rádio: 

Originalmente com a intenção de ser usado como “mouse” tridimensional, a bateria a rádio sente a posição das duas baquetas em três dimensões, variando o som produzido de acordo com a posição na superfície da “bateria” que está sendo tocada.

BodySynth:

Esse era um controlador vestível que se utilizava da tensão muscular e do movimento corporal para controlar som e iluminação. Ele foi intencionado para o uso por dançarinos e artistas de performance, mas, em muitos casos, era muito difícil de controlar. Formas mais simples do BodySynth usavam luvas ou calçados para servir como unidades de controle.

Nota: Devido ao tamanho dessa publicação, nos próximos artigos desse blog estarei dando continuidade à essa matéria com os seguintes temas:

  1. Música eletrônica-Equipamentos para produção.
  2. Música eletrônica-Antes de fazer sua música.
  3. Música eletrônica-Produzir sua própria música.

Fonte de pesquisa: Alguns textos desse artigo foram extraídos, compilados e adaptados do Wikipédia e do Wikihow

Sinta-se à vontade para dar sugestões e comentários. Assim poderei publicar artigos com mais qualidade para tornar sua leitura mais interessante.

 

Quer aprender tocar violão? Assista uma vídeo aula gratuita do minicurso de violão básico. Veja como é fácil, você pode tocar!

Julio Vianello

Julio Vianello é empreendedor digital desde 2013. Acredita que o marketing digital é um mercado em expansão e seu objetivo é ajudar as pessoas a ter seu espaço no mundo digital através de inúmeras possibilidades que surgem a cada dia.

O objetivo desse blog é de colocar à disposição dos amantes da música as oportunidades de interagir no mundo da música aprendendo a tocar instrumentos musicais

Website: http://instruase.com