Como compor uma música



COMO COMPOR UMA MÚSICA COMEÇANDO A FAZER MÚSICA DO JEITO CERTO (1)

Ás vezes nos sentimos inspirados á criar música quando estamos emocionalmente sensíveis e dá uma vontade imensa de colocar no papel o que estamos sentindo, mas nos falta o conhecimento de como compor uma música começando a fazer música do jeito certo.

Desde que o homem encontrou seu ritmo ao bater um graveto num tronco, ou ao tocar maracas feitas de caveira, os seres humanos vêm compondo músicas.

O processo evoluiu com o tempo, desenvolvemos mais palavras, criamos melodias finas, porém, a vontade de expressarmo-nos através da música permanece forte como nunca.

Nós mostraremos a você como fazer isso!

COMPOR UMA MÚSICA

Os compositores experientes podem cantar sílabas sem sentido apenas para compreender como a letra e a música poderiam funcionar juntas.

Comece assim

O início é saber o que funciona melhor para você. Muitos compositores, como Peter Gabriel, criam inicialmente a música, deixando para acrescentar a letra depois.

Uma das músicas mais famosas e tocadas na história foi feita desse jeito.

O compositor acordou certo dia com uma melodia em sua cabeça, e cantou “Scrambled Eggs, oh you’ve got such lovely legs” enquanto a letra se desenvolvia com a canção.

Ele eventualmente conseguiu encaixar a letra na música – e assim, Paul McCartney escreveu “Yesterday”.

Para um bom exemplo dessa técnica, escute “A Different Drum” de Peter Gabriel a partir dos 1:40. A “letra” é composta apenas por sons aleatórios.

Outros compositores trabalham primeiro com as letras, ou contratam um letrista para criá-las.

Pense em Richard Rogers e Oscar Hammerstein, Jerry Garcia e Robert Hunter, ou Joe Strummer e Mick Jones. Muitas pessoas acham isso um osso muito mais duro de roer – há uma grande diferença entre poesia e música.

Sem uma base musical sólida, há muitos obstáculos a serem ultrapassados.

Ainda assim, quando a musa inspiradora aparece, quem se importa se ela exibe a palavra ou a melodia primeiro? Agarre a inspiração e aproveite.

Um compositor se tornou muito conhecido ao trabalhar com um letrista: Elton John coloca as letras de Bernie Taupin em suas músicas. Os resultados são perfeitos quando isso é bem executado!

MONTANDO UMA ESTRUTURA MUSICAL

Uma composição bem estruturada é sinônimo de uma melodia harmoniosa. Siga os passos abaixo para estruturar sua música.

Introdução

A introdução pode ser estritamente instrumental, uma parte de um refrão, ou algo completamente fora da casinha.

Por exemplo, “Rocky Racoon” do Beatles começa com uma introdução falada descrevendo o personagem e preparando o terreno para a canção.

Estrofe

As estrofes constituem maior parte das músicas – ainda que não sejam, necessariamente, os elementos mais importantes.

Essa é a parte da exposição, descrevendo uma cena, uma pessoa ou uma emoção.

Normalmente, há duas ou três estrofes em sequência com a mesma estrutura musical, o mesmo tipo de rima e métrica poética, mas diferentes palavras.

A segunda estrofe enaltece o cenário criado no primeiro, etc. A maioria das canções possui uma versificação reconhecível – a não ser que você leia a letra em sites, nem sempre é possível escutar as palavras sendo ditas.

Refrão

É aqui em que tudo se encaixa – todas as estrofes serviram para levar ao refrão, que normalmente é a parte onde todos cantam juntos.

Pense em “All You Need Is Love”, do Beatles. Você consegue se lembrar dos versos dessa música?

Talvez. Você consegue se lembrar do refrão? É fácil! “All ou need is love!”. Confira no vídeo:

Porém, por mais importante que o refrão possa parecer, ele não é necessário em todas as músicas.

Em “You’re Gonna Make Me Lonesome When You Go”, Dylan coloca uma frase ao final de cada verso (o título), e isso é o que há de mais próximo de um refrão nessa música.

Ponte

Essa é a parte da canção que muda – ela pode ter seu ritmo alterado, ou volume, ou instrumentação – é um jogo totalmente sem regras.

Um bom exemplo que reúne tudo isso é “Better Together” de Jack Johnson. Ele usa a seguinte fórmula: Introdução-Estrofe-Estrofe-Refrão-Pausa-Estrofe-Estrofe-Pausa-Ponte-Pausa-Conclusão.

ENTENDENDO A ARTE DE COMPOR

Todo artista precisa conhecer arte e desenvolver suas técnicas especiais para criar arte de qualidade.

Comece escrever

Não fique apenas pensando em escrever música, comece a escrever. Você quer ser uma estrela realmente famosa, não é? Você sonha em chegar ao palco e escutar o grito do público.

O problema, gênio, é que você está desperdiçando tempo se estiver apenas sonhando.

Se quiser escrever uma música realmente boa, será preciso trabalhar. Comece hoje. Jure escrever certo número de canções por semana, assim como vários autores de sucesso se dedicam à escrita de milhares de palavras por dia.

Escute vários tipos de música

Talvez você não goste de determinado gênero musical, mas certamente há pessoas que gostam dele por algum motivo. Descubra qual é.

Bons escritores leem diversos gêneros literários. Bons compositores escutam diferentes tipos de música. Enquanto escuta, pense sobre qual detalhe da canção lhe agradou.

A letra é única? A troca de ritmos da música captura o humor dela? Você gosta da transição de uma parte da música para outra?

Desenvolva técnicas

Você não precisa de um diploma em teoria musical para escrever uma boa canção, mas é preciso compreender como as músicas são construídas. Isso inclui uma compreensão básica sobre harmonia, melodia e ritmo.

A harmonia está relacionada aos arranjos de acordes e a ter qualidades harmônicas que se misturam com uma sensação rítmica e com a melodia da música.

Um iniciante procuraria claves maiores e menores e acordes que pertençam à determinada clave. Aprenda os acordes. Na clave de C (Dó), os acordes subindo a escala são:

C (Dó), Dm (Ré menor), Em (Mi menor), F (Fá), G (Sol), Am (Lá menor) e Bdim (Si Diminuto). Eles também são chamados pelos seus passos na escala, onde há a vantagem de não serem “centrados na clave”. Por exemplo, o C é I (um), o Dm é II, o F é chamado de IV, e o G de V.

Os acordes I, IV e V de qualquer clave podem ser vistos como o arroz e o feijão da composição musical, já que esses três acordes acompanharão qualquer melodia que fique em determinada clave.

A maioria das canções pop é criada dentro de uma estrutura de I-IV-V.

Há jeitos infinitos de estruturar uma música, mas há uma sequência comum encontrada na maioria delas (veja Dicas).

Quando você escutar as canções, tente identificar as partes diferentes delas. Tente buscar as letras na internet ou num livrinho musical: as partes das canções normalmente são marcadas nesses meios.

Ao surgir inspiração

Esteja preparado para o momento em que a inspiração surgir. Infelizmente, a inspiração normalmente não aparece nos momentos mais convenientes.

Portanto, é importante decorar cada canção nova que surgir em sua mente, independentemente do lugar onde você estiver.

Carregue uma caneta e um papel sempre com você; ou melhor, carregue um gravador – melodias podem ser extremamente difíceis de colocar no papel caso você não seja experiente no âmbito musical.

Aprendendo escrever as letras

Pense sobre algo que realmente lhe deixou tocado ou que tenha mudado sua vida. Alguém especial? Um bully? Uma má separação? Pense nisso e descreva tal fator.

Como você se sentiu? Machucou? Ele(a) faz com que você pense nele/nela o tempo todo? Apenas comece a pensar em suas experiências pessoais!

Seria útil ter um instrumento musical (Ex.: Piano, violão, teclado, etc.) para poder explorar a música. Uma vantagem adicional é que você pode escrever as notas (ou tablaturas) no momento em que alcançar o ritmo.

Tente gravar o ritmo para obter feedback. Violões podem ser conectados diretamente ao computador com a ajuda de adaptadores.

Você sempre pode retornar às gravações. Se for útil, revise a gravação e realize novas.

Veja o que já você fez

Ocasionalmente, a inspiração lhe acertará com força total, e você repentinamente acabará tendo em mãos uma música completa.

Na maioria do tempo, porém, apenas um pequeno pedaço de uma música em potencial virá até você, deixando-lhe em mãos o duro, porém divertido, trabalho de estendê-la.

Você deve sentir qual parte da canção tem em mãos.

Você terá em mãos um refrão caso o elemento seja um trecho super-contagiante (seja uma frase ou uma parte instrumentalizada), podendo ser uma parte constante da música – o clímax ou sumário de seu histórico musical.

Você precisa escrever versos que expliquem detalhadamente essa parte.

Você terá em mãos uma “Estrofe” caso o trecho em mãos seja liricamente narrativo ou musicalmente sutil – uma parte de uma história, e não uma ideia principal.

Será preciso escrever o resto da história (mais estrofes) e, normalmente, um refrão.

Por enquanto é só. Aqui termina a parte 1 dessa matéria. Veja a sequência na próxima publicação e aprenda como compor uma música.

Quer aprender tocar violão? Assista uma vídeo aula gratuita do minicurso de violão básico. Veja como é fácil, você pode tocar!

Julio Vianello

Julio Vianello é empreendedor digital desde 2013. Acredita que o marketing digital é um mercado em expansão e seu objetivo é ajudar as pessoas a ter seu espaço no mundo digital através de inúmeras possibilidades que surgem a cada dia.

O objetivo desse blog é de colocar à disposição dos amantes da música as oportunidades de interagir no mundo da música aprendendo a tocar instrumentos musicais

Website: http://instruase.com