O caminho para aprendizagem do violino é longo



O CAMINHO PARA APRENDIZAGEM DO VIOLINO É LONGO

O caminho para a aprendizagem do violino é longo, mas com paciência, disciplina e entusiasmo, esses passos irão ajudá-lo a começar trilhar a estrada para o sucesso com este instrumento histórico.

O violino é um dos instrumentos mais gratificante e bonitos de tocar.

APRENDIZAGEM DO VIOLINO

Adquira um violino

Se você é iniciante na aprendizagem do violino desse instrumento, não há necessidade de gastar uma quantidade excessiva de dinheiro em um violino.

Porém, como com a maioria dos instrumentos, a qualidade do violino geralmente aumenta à medida que o preço sobe. Prepare-se para gastar algumas centenas de reais num violino para iniciantes decente.

Compre no tamanho real.

O violino é um instrumento pequeno, mas existem tamanhos menores especialmente concebidos.

Estes geralmente são destinados apenas para crianças muito pequenas; por isso certifique-se de que o violino que você está comprando é em tamanho real, a menos que você seja muito pequeno.

Você pode pedir à loja uma recomendação, se não tiver certeza.

Compre de um vendedor de confiança.

Lojas de música conseguem suas reputações em venda de instrumentos sólidos que são livres de falhas óbvias e danos.

Como um iniciante, você não será capaz de conseguir um som muito agradável do seu instrumento por algum tempo.

Então falhas em violinos vendidos particularmente podem não ser aparentes para você até que seja tarde demais para reclamar.

Só compre de uma loja ou pessoa que lhe transmita segurança.

Verifique os acessórios

Seu violino deve vir com quatro cordas, um arco e uma maleta.

Na maioria dos casos, a pessoa que vender o violino colocará as cordas para você.

O que tem a vantagem adicional de verificar se as cravelhas (as tarraxas pretas na voluta, parte superior do violino) estão devidamente encaixadas na voluta.

Um estojo duro é importante porque violinos são instrumentos muito delicados.

Cordas vêm em três variedades básicas: de tripa, aço e as sintéticas.

A de tripa, que é cara e difícil de cuidar, mas que oferece uma gama complexa de sons.

A de aço, que é alta e brilhante, mas pode soar arranhado.

E as sintéticas, que são suaves, claras, e não tão imprevisíveis como as de tripa.

O nome de cada tipo refere-se ao material do núcleo em torno do qual o fio de metal é enrolado para criar a corda.

A maioria dos iniciantes deveria começar com cordas de núcleo sintético, como o núcleo de nylon.

O arco deve ser novo ou com fios trocados recentemente.

Você pode verificar isso olhando para os fios do arco (as fibras finas e brancas ou cinzas) e garantir que a cor é uniforme e brilhante em toda sua extensão.

O fio do arco deve ter uma largura uniforme de ponta a ponta.

Arcos desgastam com o tempo. Você pode trocar os fios do seu arco por uma pequena taxa na maioria das lojas de música.

Os outros itens

Quase todos os violinistas usam um descanso de queixo, que é uma peça ergonômica (geralmente preta) de plástico, barata, que se prende perto da base do violino e permite que ele seja segurado de forma segura pelo seu queixo.

Afora isso, não se esqueça de ter algum breu para o seu arco, um suporte para partituras, e um livro de aulas para iniciantes ou músicas, de preferência em um formato que abra por inteiro.

Alguns violinistas, especialmente os inciantes, também compram um descanso de ombro, que é um bloco da largura de um violino que fica em seu ombro, debaixo do instrumento, facilitando o equilíbrio dele.

Muitas pessoas começam com um descanso de ombro e, eventualmente, retiram depois de alguns anos.

Se o violino parece machucar seu ombro quando você toca, considere a compra de um.

Violinistas muitas vezes seguram o violino na dobra do braço enquanto tocam, com a parte de trás descansando contra o ombro. Para eles, repousos de queixo e de ombro são geralmente inúteis.

ALGUMAS TÉCNICAS BÁSICAS

Como apertar o arco

Após ajeitar seu apoio de música e partituras, abra o estojo e remova o arco.

Os fios do arco devem ser moles. Aperte os fios do arco girando o parafuso no sentido horário até o que o espaço entre os fios e a vara seja grande o suficiente para passar um lápis de ponta a ponta sem problemas

Não use o dedo mindinho como um indicador porque o óleo de sua pele será transferido para os fios, que devem permanecer livres de óleo para obter um melhor som das cordas.

Agora passe o breu no arco

O breu vem em dois tipos, claros e escuros; ambos são bons para usar e não são caros.

Geralmente é um retângulo de material duro, translúcido em um papel ou caixa de papelão que está aberto em ambos os lados.

Segure a resina pelos lados forrados e suavemente, mas vigorosamente, esfregue-a para cima e para baixo ao longo do comprimento dos fios do arco três ou quatro vezes.

O objetivo é transferir parte do “pó” da resina para os fios, tornando-os mais rígidos.

O excesso de breu fará com que o arco fique bem preso, produzindo um som estridente.

Se você passar muito breu no seu arco, tudo bem, ele vai levar algumas horas de prática para voltar a um nível correto.

Se for um arco com crina recém trocada, ele pode precisar de mais resina do que o normal.

Passe o lado liso da crina do arco sobre uma corda para ver se ele faz um som claro depois de três ou quatro aplicações de breu. Se isso não acontecer, adicione mais um pouco.

Afinando o violino

Deixe arco de lado por um momento e tire o violino do estojo.

As cordas, dos tons menores para os maiores, devem ser afinadas em G, D, A e E.

Os principais ajustes podem ser feitos com as cravelhas na voluta do violino, mas se estiver só um pouco fora de tom, use as pequenas peças de metal perto do fundo, chamadas de afinadores, para fazer os ajustes.

Quando estiver satisfeito, coloque o violino no estojo aberto por um momento.

Use um apito, diapasão,ou simplesmente procure arquivos de som na Internet para encontrar as notas certas.

Nem todos os violinos têm afinadores, mas eles podem ser instalados em uma loja para estarem afinando o violino.

Agora pegue o arco

Continuando com a aprendizagem do violino.

Comece por colocar suavemente a parte do meio do seu dedo indicador sobre a almofada (parte um pouco acolchoada do arco, geralmente alguns centímetros acima do parafuso).

Coloque a ponta de seu dedo mindinho na parte plana do arco perto da base, mantendo-o ligeiramente curvado.

Os dedos anelar e médio devem descansar com suas partes do meio alinhadas com a ponta do seu dedo mindinho, e as suas pontas no talão(a peça preta que liga o parafuso à crina).

O polegar deve ficar debaixo do arco, na frente do talão, perto ou na crina do arco.

Sua mão deve estar relaxada e solta e um pouco fechada, como se estivesse segurando uma pequena bola.

Não deixe sua palma próxima ou descansando no arco. Isso reduz o controle que você tem sobre o movimento do arco, que se torna cada vez mais importante conforme sua habilidade aumentar.

Pegue o violino

Fique de pé ou sente-se com as costas retas.

Segure-o pelo braço e com a mão esquerda traga a parte de trás do instrumento até o pescoço.

Descanse parte inferior das costas do violino em sua clavícula e prenda no lugar com sua mandíbula.

Sua mandíbula, logo abaixo do lóbulo da orelha (não o seu queixo), deve estar apoiada sobre o resto do queixo.

Isso ajuda a evitar que o instrumento deslize para fora de seu ombro. É também por isso que os violinistas na TV parecem estar sempre olhando para baixo e para a direita.

Melhore a posição da sua mão

Coloque a mão sob a parte superior do braço e apoie o violino de modo que a voluta esteja apontando para longe de você.

Segure firme, repousando a lateral do seu polegar no braço, e permita que seus quatro dedos se dobrem em cima do espelho, que é a placa preta que cobre a parte frontal do braço..

Como um iniciante na aprendizagem do violino, sua mão deve ficar tão longe do braço do violino quanto possível, mas ainda permitindo que o dedo indicador desça a escala do braço.

Eventualmente, você vai aprender a deslizar sua mão para cima e para baixo para atingir notas mais altas rapidamente.

Tocando as cordas

Coloque o lado liso da crina do arco aproximadamente na metade do caminho entre o cavalete (a madeira de aparência frágil que fica a 3/4 do caminho abaixo das cordas e que as mantém tensas) e a escala, de modo que esteja diretamente sobre a barriga (corpo frontal) do violino.

Puxe o arco ao longo da corda o mais reto possível, paralelamente ao cavalete, aplicando uma pequena quantidade de pressão. Um som deve emanar do violino.

Mais pressão equivale a um som mais alto, mas muita pressão faz com que saia um som arranhado.

Uma leve pressão deve produzir um som contínuo de ponta a ponta do arco, se houver lacunas, o arco precisa de mais resina.

Incline o arco ligeiramente na direção da voluta e seu tom será mais focado, produzindo um tom mais profissional.

Para praticar toque as cordas abertas

Cordas abertas são simplesmente cordas tocadas sem dedos sobre elas.

Coloque o braço do violino no espaço entre o polegar esquerdo e o primeiro dedo.

Segure o arco com o seu punho, cotovelo, ombro e ponto de contato na corda todos no mesmo plano.

Mude de corda levantando ou abaixando o cotovelo para trazer o arco para a altura apropriada.

Experimente movimentos curtos de uns 15 centímetros ou menos no meio do arco, em primeiro lugar e, em seguida, tente movimentos desde o talão até metade do arco. Pratique até atingir o comprimento todo.

Movimentos curtos e longos são duas técnicas importantes para tocar violino, por isso não sinta como se estivesse perdendo tempo praticando movimentos curtos.

Continue praticando até que você possa tocar uma corda de cada vez, sem tocar nas outras cordas.

É importante desenvolver o controle para que você não toque acidentalmente uma nota que você não quer tocar.

Toque as outras notas

É preciso muita prática para dominar a pressão e posicionamento necessários para que os dedos produzam notas claras sobre a escala.

Comece com o seu dedo mais forte, o dedo indicador. Usando a ponta apenas, pressione firmemente a corda maior (a corda E).

Você não precisa usar tanta pressão como faz com as cordas da guitarra. Uma quantidade modesta, mas firme, é o suficiente.

Deslize o arco sobre a corda E para produzir uma nota um pouco mais aguda.

Se você estiver segurando o violino corretamente, seu dedo deve naturalmente descer cerca de um centímetro abaixo da pestana (parte superior do braço), produzindo uma nota F.

Adicione notas. Assim que você for capaz de produzir uma nota clara, tente colocar a ponta do seu dedo do meio um pouco abaixo do dedo indicador sobre o braço.

Mantenha os dedos para baixo e toque outra nota mais alta.

Finalmente, coloque o dedo anelar na frente do dedo médio e repita o processo.

O dedo mindinho também é usado, mas leva muito mais prática para dominar.

Por enquanto, apenas se preocupe com os outros três dedos.

Adicione cordas. Tente tocar quatro notas (aberta, indicador, médio e anelar) em todas as quatro cordas.

Preste atenção para a quantidade de pressão que você precisa para produzir uma nota clara sobre cada uma delas.

Exercite as escalas

A escala é uma série de notas que sobem e descem num padrão de intervalos (geralmente 8, ou 5) que se inicia numa nota e termina em uma versão mais alta ou baixa da mesma nota.

Uma escala fácil (e útil) para os iniciantes é a escala de D Maior, que começa na corda D aberta.

De lá, coloque os dedos na ordem (como descrito acima) e toque cada nota: D (aberta), E, F sustenido, G (que deve ser produzido pelo seu terceiro dedo, ou anelar).

Para completar a escala, toque a corda aguda mais próxima aberta, A, e em seguida repita o padrão na corda A para tocar B, C sustenido e, finalmente, com o seu terceiro dedo, D.

Quando bem tocada, a escala de D Maior (e, de fato, qualquer escala maior) deve coincidir com o som da famosa escala cantada “Dó, Re, Mi, Fá, Sol, La, Si, Dó”.

Se você não sabe o que é isso, procure o filme musical “The Sound of Music“, que apresenta uma música memorável e bem conhecida, chamada “Do Re Mi”, que explica tudo.

Se você não consegue acertar o som, lembre-se: coloque o dedo indicador a uma distância de um dedo da pestana; o segundo dedo a um dedo de distância do primeiro; e o terceiro dedo encostado no segundo.

Se preferir, solicite a sua loja de música ou professor para marcar as posições dos dedos para você com fita branca. Assim, você terá um guia visual.

Existem outras escalas, como menor, harmônica, e até mesmo escalas pentatônicas (5 notas), mas elas podem ser estudadas, praticadas, e internalizadas mais tarde.

Coloque tudo em prática

Comece com um curto período de tempo (15 ou 20 minutos) e trabalhe um pouco mais a cada dia até chegar a uma hora, ou você não conseguirá encontrar mais tempo para tocar.

Violinistas sérios muitas vezes praticam por três ou mais horas por dia; novamente, muitos violinistas nesse nível ganham dinheiro para tocar.

Pratique tanto quanto você puder de maneira razoável, e mantenha o ritmo.

Você pode ter de treinar por meses para conseguir começar a tocar músicas simples; porém, eventualmente, as coisas começarão a melhorar..

Olha só essas dicas

Pratique lentamente, em seguida, trabalhe o ritmo. Como em digitação, eventualmente, seus dedos vão se lembrar para onde ir por conta própria.

Limpe o acúmulo de resina em seu violino depois de cada sessão de treino. Use um pano limpo, seco e macio sobre as cordas, no braço e embaixo dele, e ao redor do cavalete. Não limpe o breu acumulado na crina do arco.

Consiga um professor ou faça um bom curso de violino online de qualidade ou se inscreva em nosso canal do Youtube para aprender o básico do violino, assim você vai aprender muito mais rápido.

Verifique se há professores de universidades locais, faculdades comunitárias, orquestras, e algumas escolas de ensino médio. Mesmo uma pequena aula semanal pode fornecer uma ajuda valiosa.

Com cursos de violino online você poderá assistir vídeo aulas quantas vezes quiser, em qualquer lugar e na hora que você achar melhor, sendo assim muito mais barato do que cursos presenciais.

Você vai levar anos para dominar o violino. Seja paciente.

Leia mais sobre aprender violino no artigo “Violino para iniciantes

Se você não tem o dinheiro para comprar um violino, o aluguel é sempre uma opção. Violinos alugados devem sempre vir com um arco, estojo, e cordas.

Não deixe seu arco apertado após tocar, pois ele pode ser danificado e arcos podem ser muito caro.

Alguns avisos

Se você não está confiante com as cravelhas, peça a alguém com mais experiência (como um professor, lojista ou amigo violinista) para afiná-la.

É fácil estragar cordas de violino (em especial as de núcleo de aço) esticando-as muito, o que é irritante e demorado para corrigir.

Trate sempre o instrumento com grande cuidado. Não o deixe cair, jogá-lo ou expô-lo a condições extremas de temperatura ou umidade. O mesmo vale para o seu arco.

Notas:

Esse artigo foi interessante para você? Não esqueça de deixar seu comentário, crítica ou sugestão.

Siga-nos nas redes sociais:

Youtube, Facebook,Tweeter, Google+

Fonte de pesquisa:

http://www.suzuki-method.com/

http://www.violinist.com/

http://www.violinmasterclass.com/

.

 

 

Quer aprender tocar violão? Assista uma vídeo aula gratuita do minicurso de violão básico. Veja como é fácil, você pode tocar!

Julio Vianello

Julio Vianello é empreendedor digital desde 2013. Acredita que o marketing digital é um mercado em expansão e seu objetivo é ajudar as pessoas a ter seu espaço no mundo digital através de inúmeras possibilidades que surgem a cada dia.

O objetivo desse blog é de colocar à disposição dos amantes da música as oportunidades de interagir no mundo da música aprendendo a tocar instrumentos musicais

Website: http://instruase.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *